pensador.info www.emagrecerdevez.com

segunda-feira, 4 de abril de 2011

A música barroca 1601-1750

Continuando a nossa conversa sobre a arte barroca...

Resumo
A palavra Barroco inicialmente era usada para designar o estilo de arte do século XVII, caracterizado pelo excesso de ornamentos. Depois o termo passou a ser empregado pelos músicos para indicar o período da história da música que vai do aparecimento da ópera e do oratório até a morte de J. S. Bach.
A música barroca é geralmente exuberante: ritmos enérgicos, melodias com muitos ornamentos, contrastes de timbres instrumentais e sonoridades fortes com suaves.
O desenvolvimento das estruturas musicais já iniciados anteriormente pelos mestres flamengos e venezianos serviu de suporte para que, no Barroco, surgisse uma nova fórmula musical, a ópera. Ela representa um profundo avanço nas artes, pois intera, em uma só obra, o canto, a música, a poesia e o teatro. 
Como ja vimos, uma das características das artes barrocas é a união das áreas da arte em torno dos opostos: matéria e espírito. 
A ópera tem origem em um ideal  renascentista. Entretanto, procurando reconstruir o drama grego, mediante  encenações e cantos gregorianos, os artistas florentinos  acabaram descobrindo um novo tipo de música. Desse momento em diante, desenvolveu-se, a princípio, a música religiosa e, posteriormente, a música de caráter cômico, popular e revolucionário.
MÚSICA VOCAL

La Dafne de Jacopo Perí (1561-1633) e Eurídice (1600), são reconhecidas como as primeiras óperas. Entretanto, é com Cláudio Monteverdi (1567-16430) que a ópera adquire forma e grandiosidade. Por isso é atribuída a ele a sua criação com Orfeu  escrita no ano de 1607. Nela a melodia está calcada na harmonia. Este estilo era denominado de monódico.
Monteverdi acreditava que a harmonia era resultado da melodia e que a melodia  resultava da poesia. Assim ele organizava a orquestra. Compôs entre outras óperas: Orfeu, O Combate de Tancredo e Clorinda, Ariana e o Coroamento de Pompéia.

Ópera é uma peça teatral em que os papéis são cantados ao invés de falados. A ópera de Monteverdi possuía uma orquestra formada de 40 instrumentos variados, inclusive com violinos, que começavam a tomar lugar das violas.
Consideram-se partes de uma ópera:
  • a abertura - introdução musical que antecede à ópera;
  • a ária - o canto solo do artista;
  • o dueto - canto executado por dois personagens;
  • o ballet - dança e música instrumental;
  • os finais - apogeu em que se desenrolamtodos os fatos em uma apoteose cantada por todos.
No auge do Alto Barroco, a ópera difundiu-se em todos os países, podendo-se observar entre eles variados estilos, como:
  • o napolitano Alessandro Scarlatti (1660-1725);
  • o veneziano Cavalli;
  • o inglês enry Purcell.
  • Na França os principais compositores de óperas foram Lully (1632-1687) e Rameau ( 1683-1764) . 
 Alguns reformadores, como Gluck, Carl Marior van Weber e Richard Wagner contribuíram para o desenvolvimento desse estilo musical.

Oratório 
Nascido na mesma época da ópera, o Oratório é outra importante forma de música vocal barroca. O oratório é um tipo de ópera com histórias tiradas da Bíblia. Com o passar do tempo os oratórios deixaram de ser representados e passaram a ser apenas cantados. Os mais famosos oratórios são os do compositor alemão Haendel (1685-1759), do início do século XVIII: Israel no Egito, Sansão e o famoso Messias.
As Cantatas são oratórios em miniaturas e eram apresentados nas missas.

MÚSICA INSTRUMENTAL

Durante o período barroco, a música instrumental passou a ter importância igual à da música vocal. A orquestra passou a tomar forma. No início a palavra ‘orquestra’ era usada para designar um conjunto formado ao acaso, com os instrumentos disponíveis no momento. Mas no século XVII, o aperfeiçoamento dos instrumentos de cordas, principalmente os violinos, fez com que a seção de cordas se tornasse uma unidade independente. Os violinos passaram a ser o centro da orquestra, ao qual os compositores acrescentavam outros instrumentos: flautas, fagotes, trompas, trompetes e tímpanos.
Um traço constante nas orquestras barrocas, porém, era a presença do cravo ou órgão como contínuo, fazendo o baixo e preenchendo a harmonia. Novas formas de composição foram criadas, como a fuga, a sonata, a suíte e o concerto.
Principais compositores Barrocos
  • A Corelli - 1653/ 1713
  • A Scarlatti - 1660/ 1755
  • A Vivaldi - 1678/ 1741
  • D Scarlatti - 1685/ 1757
  • Henry Purcell - 1659/1695
  • George Philipp Telemann - 1681/1767
  • J. S. Bach - 1685/ 1750
  • J. F. Haendel - 1685/ 1759
  • Jean-Philippe Rameau - 1683/ 1764
  • José Antônio Carlos Seixas - 1704/ 1742
Fonte: 

NOVA ENCICLOPEDIA BARSA. São Paulo: Encyclopedia Britannica do Brasil, 1999.

BENNETT, Roy. Uma breve história da música. caderno de Música da Universidade de Cambridge. Jorge Zahar.

Compositores - história da música

Caros internautas

Caros internautas
"A literatura, como toda a arte, é uma confissão de que a vida não basta" Fernando Pessoa

Importante

Importante
Caso alguém seja autor de algum texto ou imagem contida neste blog, e não tenha sido creditada a sua autoria por meu desconhecimento, agradeço que me contatem imediatamente a fim de serem dados os devidos créditos.

Extrato de amora

De todas as postagens feitas aqui, o extrato de amora é a que é mais vista e mais comentada. Realmente há muitos depoimentos favoráveis ao extrato de amora, portanto, sinta-se a vontade para conhecer um pouco sobre os seus benefícios.
Quantos agoras perdemos esquecendo que o risco pode ser a salvação de muitas alegrias de nossas vidas... O medo que nos impede de sermos ousados agora, também está nos impedindo de vermos a linda pessoa que podemos ser. (Clarice Lispector)