pensador.info www.emagrecerdevez.com

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A arte de Lucílio de Albuquerque

Auto- retrato, Lucílio Albuquerque
Por que não encontramos a obra deste pintor nos livros de Arte?
Lucílio de Albuquerque

Nasceu em Barras - PI, em 1877, fez seus estudos em Pernambuco, mas logo foi para São Paulo, a fim de matricular-se na Faculdade de Direito. Entretanto, a atração pela pintura leva-o a abandonar os estudos e ir para o Rio de Janeiro, onde ingressou na Escola Nacional de Belas-Artes, em 1896, onde foi aluno de Daniel Bérard, Zeferino da Costa, Rodolfo Amoedo e Henrique Bernardelli.

Com a tela Anchieta Escrevendo um Poema à Virgem, Lucílio recebe o Prêmio de Viagem à Europa, em 1906. Enquanto aperfeiçoava os seus na Academia Julien, em Paris, observou os impressionistas e experimentou seus processos executando nus bem desenhados, onde se evidencia um grande conhecimento no emprego das cores e das tintas.

Foi na escola Nacional de Belas-Artes que conheceu Georgina Moura Andrade de Albuquerque uma pintora, desenhista e professora brasileira, com quem se casou e seguiu em 1906 para a França para  fixar residência. Na Eurpa o casal permaneceu cinco anos em viagens de aprendizado.
Efeitos do Sol - Manhã em Niterói, Lucílio de Albuquerque

Participou ativamente do ambiente artístico europeu realizando diversas exposições no Salon dês Artistes Français, em Paris, e participou de várias mostras em Bruxelas, além de projetar os  vitrais do Pavilhão Brasileiro na Exposição de Turim.

De volta ao Brasil, em agosto de 1911, Lucílio retornou à Escola Nacional de Belas-Artes pra apresentar uma mostra dos trabalhos executados na Europa. Alguns meses depois foi nomeado professor da cadeira de desenho figurado, da qual se tornaria catedrático em 1916.
A partir dessa data, tornou-se cada vez mais intensa sua atividade: viajou por todo o Brasil, realizando diversas exposições; foi a Buenos Aires como representante do Ministério das Relações Exteriores em missão de intercâmbio artístico, apresentando também aí os seus trabalhos.

Em 1924 expôs em Salvador, datando dessa época uma grande transformação em sua arte. Pintou retratos, nus, paisagens e quadros históricos e introduziu um novo tema: os casarios coloniais e as ruas tortuosas da Bahia.

Além das inúmeras exposições realizadas no Brasil, Lucílio participou de mostras em Los Angeles, Nova York e Pittsburgh, nos Estados Unidos. Em 1937, o artista foi nomeado diretor da Escola Nacional de Belas-Artes, cargo que abandonou no ano seguinte por motivo de saúde. Morreu em 19/04/1939, no Rio de Janeiro, encerrando uma carreira brilhante.

Após sua morte, Georgina de Albuquerque organizou, na residência do casal em Laranjeiras (RJ), o Museu Lucílio de Albuquerque, cujo acervo de 127 obras hoje pertence ao Estado.

Uma exposição póstuma, levada a efeito em 1940 pelo Ministério da Educação e Saúde, evocou o artista recém-desaparecido. E em 1977, para celebrar o centenário de seu nascimento, o Museu Nacional de Belas-Artes reuniu pinturas, aquarelas e desenhos tanto de Lucílio como de Georgina de Albuquerque.

Despertar de Ícaro, Lucílio Albuquerque

Garibaldi e a esquadra Farroupilha, Lucílio Albuquerque
Fontes:

Caros internautas

Caros internautas
"A literatura, como toda a arte, é uma confissão de que a vida não basta" Fernando Pessoa

Importante

Importante
Caso alguém seja autor de algum texto ou imagem contida neste blog, e não tenha sido creditada a sua autoria por meu desconhecimento, agradeço que me contatem imediatamente a fim de serem dados os devidos créditos.

Extrato de amora

De todas as postagens feitas aqui, o extrato de amora é a que é mais vista e mais comentada. Realmente há muitos depoimentos favoráveis ao extrato de amora, portanto, sinta-se a vontade para conhecer um pouco sobre os seus benefícios.
Quantos agoras perdemos esquecendo que o risco pode ser a salvação de muitas alegrias de nossas vidas... O medo que nos impede de sermos ousados agora, também está nos impedindo de vermos a linda pessoa que podemos ser. (Clarice Lispector)